Blog dedicado a Arte, Cultura, Turismo, Lazer e Naturismo com foco inicial na cidade de São Paulo / SP - Brasil.
Licença Creative Commons
Blog Projeto o nu na arte by Sergio S. Pereira is licensed under a Creative Commons 3.0 Unported License:
Atribuição - Uso não comercial - Não a obras derivadas.
Blog elaborado em conformidade com: Lei 9.610/98. Este Blog respeita leis internacionais de Direitos Autorais.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

A fotógrafa e modelo Miru Kim


Menu Outras galerias

(traduções dos originais em Inglês via Google translator com ajustes do autor do blog)

Miru Kim é uma artista, fotógrafa, ilustradora e coordenadora de eventos de arte, que tem explorado, documentado e fotografado várias configurações urbanas, tais como estações de metrô abandonadas, túneis, o aqueduto de Croton, catacumbas de Paris, fábricas, hospitais, e estaleiros. A série de fotografias "Naked City Kim" inclui imagens de si mesma nua nestas definições. Para sua nova série, chamado "O porco que conseqüentemente eu sou", visitou fazendas industriais de porcos e ficou entre os suínos. Ela é a filha do filósofo contemporâneo sul-coreano Kim Young-Carvalho (aka Do ol).
Kim nasceu em Stoneham, Massachusetts, em 1981, mas foi criada em Seul, Coréia. Ela se mudou de volta a Massachusetts em 1995 para atender a Academia Phillips em Andover e se mudou para New York City em 1999, para participar da Universidade de Columbia. Em 2006, ela recebeu um mestrado em pintura no Pratt Institute.
Kim foi destaque na edição de 2007 da Esquire melhores e mais brilhantes.
O Financial Times de Londres incluiu Kim em um artigo intitulado "Nós vamos escalar essa ponte quando chegarmos a ela" sobre "exploradores urbanos", pessoas que escalam pontes e percorrem túneis do metrô, bueiros, fábricas abandonadas, esgotos, saídas de vapor e outras infra-estruturas da cidade proibida.
Fonte: en.wikipedia .




Entrevista

Entrevista: Miru Kim com seus auto-retratos nus criado em ambientes urbanos degradados tornaram esta jovem fotógrafa uma estrela em ascensão.
Por Schonauer David em 05 março de 2009.
Miru Kim é a pessoa mais tímida que você já conheceu que também tira a roupa em lugares públicos.
A fotógrafa de 28 anos, visitou recentemente o meu escritório para falar sobre as imagens que estão recebendo sua parcela de atenção: uma série de auto-retratos nus tomadas em out-of-the-way centros urbanos, a maioria deles em Nova York . Em pessoa, ela não é nada exibicionista - ela torna-se pequena em uma cadeira e fala baixinho. O gravador digital que eu uso para as entrevistas quase não conseguia pegar nada que ela disse. Kim deve usar isso, porque ela me deixou com um pacote promocional que continha um Q & A que ela fez com ela.

Q: Por que você nua em suas fotos?
R: Eu estava interessada em animais que habitam nesses lugares abandonados na cidade. O personagem de ficção que eu queria criar tinha que ser universal, e roupas fazem o ser vivo culturalmente muito específicos em tempos específicos. Comecei a modelagem de mim porque eu não consegui convencer ninguém a ficar nu em todos estes locais, e começar como um animal para fazer isso era ainda mais difícil. Então, o aspecto do desempenho deles ficou muito apelativo para mim, porque eu comecei a perceber como estes espaços transformam assim que eu tirar a roupa e caminhar ao redor. Eles se tornam muito mais familiares e tranquilos.



O projeto de Kim, chamado de "Naked City Spleen", foi nomeado com base na poesia de Baudelaire Spleen de Paris de alienação urbana e "reserve Weegee" foto famosa sobre "Nova York, Naked City". Suas imagens são produzidas nos tipos de casas ao redor, acima, e em Nova York que os moradores da cidade nunca mais viram: túneis de trem Amtrak no Riverside Park, uma usina abandonada às margens do rio Hudson, perto de Yonkers, as vigas da ponte de Williamsburg, uma lar de idosos abandonados em Queens. Este tipo de aventura se tornou popular entre certos grupos de (principalmente) jovens: "Urbanistas de guerrilha", eles são chamados de "exploradores urbanos", como as próprias explorações de Kim que são feitas em nome da arte.
Nascida em Stoneham, Massachusetts, mas criada em Seul, na Coréia, Kim retornou aos Estados Unidos em 1995 e frequentou a Academia Phillips em Andover, Massachusetts. Em 1999 ela se mudou para New York para participar da Universidade de Columbia, e em 2006 ela recebeu um mestrado em pintura no Pratt Institute.


Q: Como você encontra esses locais e quais são os perigos?
R: Em Nova York, eu tenho alguns amigos próximos que conhecem cada canto e recanto da cidade. Eu costumo chamá-los para obter dicas se eu não estou com eles, mas eu também encontrei alguns lugares por conta própria. Estou interessada sobretudo nestes lugares pelos seus aspectos visuais, mas alguns estão a explorar essas estruturas por causa da história ou de certos artefatos industriais. Alguns fazem isso por pura emoção. Eu não vou atrás de perigo, e é por isso que eu sou muito cautelosa para não fazer coisas que arriscaria minha saúde, tais como a queda por meio de pisos antigos, queimar nos túneis de vapor, respirando fumaça de amianto ou tóxicos, pisando em pregos, ficando em lutas, tocando o molde, etc Se você pensar sobre isso, só andar na rua em Nova York pode ser realmente perigoso, dependendo de quando e onde fazê-lo.



O trabalho de Kim tem aparecido em várias revistas, incluindo a Esquire Magazine e FT. Na maioria das vezes as histórias a colocou como a personificação literal do movimento de exploração urbana. (Um artigo do New York Times chamou Kim e seus colaboradores undergrounds de "Children of the Dark"). Este mês, a fotógrafa irá apresentar seu trabalho no terceiro ano do "Entretenimento Gathering" em Monterey - uma conferência sobre meios de comunicação, criatividade e tecnologia. Ela também fez um curta-metragem com Isidoro Roussel, chamado "Blind Porta", que está relacionado ao seu trabalho "Spleen Naked".
Sem dúvida o fato de Kim posar nua nas suas imagens, adiciona mais interesse em seu trabalho. Mas as fotos da bela e misteriosa falam poderosamente para si próprias. Ela capta as pátinas de ferro velho e as formas de estruturas enferrujadas (assim como sua própria forma) com uma iluminação que um fotógrafo de estúdio teria motivo de orgulho. Mas a sua falta das amenidades dos estúdios, tais como a electricidade, e às vezes ela tem que evitar os trens que se aproximam. Normalmente ela trabalha sozinha ou com a ajuda de sua irmã.


Q: Como você encara essas fotos que você faz?
A: Eu monto minha câmera em um tripé e defino seu temporizador de 20 segundos. Eu faço cerca de cinco a 20 poses em um ponto. Se eu tenho um amigo comigo, eu poderia obter alguma ajuda em pressionar o botão do obturador e iluminação. A engrenagem usual é a câmera, tripé, luzes, sacolas plásticas, desinfetantes, guardanapos e Band-Aids.



Kim usa tanto Nikon D100 e Nikon D200 corpos reflex digitais geralmente com uma Nikkor AF 20 milímetros lente grande-angular f / 2,8 D para o seu trabalho. Nos locais acima do solo, ela usa a luz disponível; abaixo do solo, ela usa halógenas "quente" luzes e flashes Nikon ocasionalmente com um gel de aquecimento. Ela diz que o local mais impressionante que ela trabalhou foi nas Catacumbas de Paris. Ela levou pesadas botas de borracha, Helmut, e lampiões de carbureto - o tipo de luz que os mineiros utilizada no século 19. Ela descobriu que eles lançam "uma luz quente que também é muito poderosa" e usou-os muitas vezes desde então.


Q: O QUE você está tentando transmitir através da série "Naked City"?
R: Eu sempre senti... uma espécie de alienação e ansiedade em ambientes urbanos, e uma das maneiras que eu poderia escapar do lado negativo foi visitar lugares da cidade esquecido e abandonados. Os sentimentos de isolamento e solidão que eu tive podem estar relacionados a ter me deslocado sozinha para os EUA aos 13 anos sem saber o idioma. Mas eu acho que a maioria dos moradores urbanos entendem esses sentimentos, independentemente da cultura.
Fonte: popphoto.com .


Mais informações:

Site oficial: www.mirukim.com
Contato: info@mirukim.com

sodaistanbul.com

waterhousedodd.com





http://peladista.blogspot.com/
http://www.orkut.com.br
http://groups.google.com
  
http://www.facebook.com/peladista
http://twitter.com/Peladista





Miru Kim: Making art of New York's urban ruins
Postado no site Youtube por TEDtalksDirector em 27/02/2009







For more information please visit http://www.mirukim.com
In 2008, I collaborated with a film director, Isidore Roussel, to make Blind Door, a 11-minute film shot in 16 mm black-and-white. Blind Window is a video installation piece, shot in color video. It is played on a loop.
The full length film is only available as a limited-edition DVD (edition of 30).






Based on A Dream Play by August Strindberg, directed by Daniel Harray
In August Strindberg's A Dream Play, a goddess called Agnes descends to earth and attempts to fathom what it means to be human. Agnes is a curious innocent who finds herself beset by a menagerie of often absurd characters. Through her journey, we experience a shared lucid dream (sometimes bordering on becoming a nightmare) that ultimately champions compassion for all, and exhorts us to seek beauty where we least expect it. This adaptation / workshop production of A Dream Play aims to distill and amplify Strindberg's message within the framework of Miru Kim's aesthetic.
The performance was held in the Atlantic Avenue Tunnel in downtown Brooklyn, on September 27th, 2008. For more info on the tunnel http://brooklynrail.net/proj_aatunnel.html
Please visit http://www.mirukim.com for more information on the project and other projects.

Cast

Maria Portman Kelly (Agnes)
Daniel Harray (The Officer / The Chairman of Inquiry)
Rob Krakovski (The Lawyer / Large Predator / The Judge)
Stewart Walker (The Writer)
Gilbert Cruz (The Newlywed Husband / The Psychoanalyst)
Heather Benton (Kristin / The Newlywed Wife / The Bishop)






Ovation TV documentary directed by Albert Maysles Albert Maysles (Grey Gardens, Gimme Shelter, Salesman) featuring Bruce Davidson, Miru Kim, Brigitte Lacombe, Jay Maisel, Steve McCurry, Susan Meiselas.

Please visit http://www.mirukim.com/





For more information please visit http://mirukim.com/
In 2008, I collaborated with a film director, Isidore Roussel, to make Blind Door, a 11-minute film shot in 16 mm black-and-white. The full length film is only available as a limited-edition DVD (edition of 100).

Cinematography: Sean Williams
Orginal Music Score: Andrew Nahem
Editing: Miao Wang






For photos and more videos please visit http://www.mirukim.com/
On the recommendation of Richard Vine (Art in America), I was invited to participate in the Fokus Lodz Biennale 2010 (September 11–October 10) in Lodz, Poland. More than fifty artists around the world were invited to create works along Piotrkowska Street, the main commercial street considered to be the longest boulevard in Europe. One of the main venues along the street was an abandoned concert hall, with a main stage area and many rooms where artists created site-specific installations. In that building I discovered a basement, and staged a performance piece for the opening day of the Biennale. I named it The Mudbath for Thick Skin. The original idea was to do the piece much longer than 6 hours, but the basement was extremely cold, so the physical challenge, which was much beyond the mental one, became a time limitation for health reasons. The mud in the performance was taken from one of smaller local farms, which are now becoming obsolete due to large industrial farms. One could only watch the performance through a peephole on a wooden door that was bolted shut.
The main part of my work at the Biennale was a public installation on Piotrkowska Street, on the corner of the very busy intersection with Zielona Street. An image from the series "The Pig That Therefore I Am" was mounted on a commercial lightbox display of 3.75 meters by 2.5 meters.
For more information on the Biennale, please visit their website. http://www.biennalelodz.pl/biennale_eng.html






For photos and more videos please visit http://www.mirukim.com/
With a generous sponsorship of Samsung Turkey, I was able to spend five weeks in Istanbul in March and April 2010, to create a photography and video installation at SODA gallery. I photographed some rarely visited ruins in and around Istanbul, and printed eleven new images as a part of the larger Naked City Spleen series. Video was installed in a separate room from the main exhibition hall, and it could be seen only through a square opening on a wall. The wanderings in the city were mapped out in an unconventional way, and I created a large window display of the neighborhoods, in the spirit of Situationist maps.




Miru Kim - Interview 23 Aug 2009(Gallery Hyundai at Sinsa-dong, Seoul)
Postado no site Youtube por CHUNGCO em 26/08/2009







Definição de naturismo pela INF




Menu Outras galerias