Blog dedicado a Arte, Cultura, Turismo, Lazer e Naturismo com foco inicial na cidade de São Paulo / SP - Brasil.
Licença Creative Commons
Blog Projeto o nu na arte by Sergio S. Pereira is licensed under a Creative Commons 3.0 Unported License:
Atribuição - Uso não comercial - Não a obras derivadas.
Blog elaborado em conformidade com: Lei 9.610/98. Este Blog respeita leis internacionais de Direitos Autorais.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Naturistas no Monumento da Independência ?!?

NATURISTAS NO MONUMENTO DA INDEPENDÊNCIA ?!?


Galeria de obras de arte pública Página:   1   2   3   4   5     

O conjunto arquitetônico em lembrança à Independência do Brasil situa-se no Bairro do Ipiranga. Na época da construção do Museu ele era uma região rural, com início de surgimento de algumas fábricas separadas uma da outra por chácaras e tinha uma posição estratégica, porque estava no caminho entre a capital e o litoral. O desenvolvimento seguiu a linha da maioria das áreas de periferia de São Paulo: Instalação de fábricas (que promovem a erradicação dos terrenos alagadiços), surgimento de povoados operários e pequenos estabelecimentos comerciais e de serviços, desaparecendo as propriedades rurais. Depois aumento da urbanização, obras governamentais de água, esgoto e energia elétrica e então o bairro começa lentamente a deixar de ser fortemente industrial e passar a ser mais residencial.

O Conjunto arquitetônico em homenagem à Independência do Brasil, chamado de Parque da Independência é composto pelo prédio do Museu, o Monumento, a Casa do Grito e as áreas que os envolvem, ornamentadas por jardins em estilo francês e belos chafarizes e começou a ser idealizado poucos meses após o fato histórico ter ocorrido.

O Museu do Ipiranga (oficialmente chamado de “Museu Paulista”) foi construído em dez anos (1885-1895) e foi projetado pelo o engenheiro italiano Tommaso Gaudenzio Bezzi, contratado em 1884. Da construção do edifício monumento encarregou-se outro italiano, Luigi Pucci, responsável pela contratação da mão-de-obra necessária, pela compra de materiais e por fazer cumprir as determinações técnicas e ornamentais do projeto do engenheiro Bezzi. Na época, o fato de o prédio ser construído com tijolos, foi considerado algo revolucionário, pois a predominância era a taipa com barro amassado.

Os primeiros jardins em torno do edifício, formados entre 1908 e 1909, foram projetados pelo paisagista belga Arsenius Puttemans e reproduzem concepções paisagísticas inspiradas nos jardins barrocos franceses. As fontes de água vieram depois.



Galeria de obras de arte pública Página:   1   2   3   4   5